Obra
AGUIAR, Manuel Caetano Pimenta de, ?-1831 - D. Sebastião em Africa, 1817.
Cópia em JPEG
Índice
[Encadernação com ex-libris]
[Rosto]
Argumento
3 4 5 6 7 8
Actores
9 b
Acto I
Acto II
Acto IV
Capa

Ficha Bibliográfica

AGUIAR, Manuel Caetano Pimenta de, ?-1831

D. Sebastião em Africa : tragedia / por Manoel Caetano Pimenta de Aguiar. - Lisboa : Impressão Regia, 1817. - 103 p. ; 16 cm. - Obra digitalizada a partir do original. - Também encadernado neste volume: Destruição de Jerusalem / Manoel Caetano Pimenta de Aguiar. - Também encadernado neste volume: Conquista do Peru / Manoel Caetano Pimenta de Aguiar

CDU 82-2

OMGAR 2415p (ULFL-OM)

 

Nota descritiva

No Argumento que acompanha a publicação de D. Sebastião em África, Manuel Caetano Pimenta de Aguiar não deixa de enfatizar o tema escolhido para a sua tragédia ao identificá-lo como "o facto mais trágico da nossa história". O público depara-se, desta forma, com a glorificação da figura de D. Sebastião, vincadamente marcado pela sua "natural inclinação pelas armas" e, através dele, de um Reino indiscutivelmente no "auge da sua glória e prosperidade". Como refere o autor, e como é do conhecimento comum, o génio belicoso do jovem monarca assim o conduziu, após uma primeira vitória alcançada no norte de África, a uma segunda e derradeira expedição que lhe custou a vida e mergulhou o reino na dor e no desamparo. Ora a tragédia não é mais do que a curta e pomposa encenação do conflito que opõe o rei de Portugal, nas proximidades de Arzila e junto ao rio Mucazane, ao imperador de Marrocos e ao seu plano estratégico. A edificação da tragédia, durante os seus cinco actos, entre o campo português e o campo inimigo, concorre para a acentuação do terror e compaixão a favor do exército luso e a elevação da figura de D. Sebastião a herói nacional.

 

© Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa - ContentE v.1.6 - 2007-07-24T16:03:01