Publicações

Catálogo de incunábulos e impresso raros

O trabalho que agora se divulga diz respeito a 281 edições reunidas em 269 volumes, maioritariamente quinhentistas, existentes no riquíssimo acervo à guarda da Biblioteca da FLUL e tratadas no âmbito do projecto.

Sobressaem os impressos em prelos nacionais e, concretamente, nas casas tipográficas de Lisboa e Coimbra (46 e 30, respectivamente). Das tipografias estrangeiras, existe igualmente um número significativo de edições de Veneza e de Lião. Este conjunto distribui-se, todavia, pelas seguintes línguas de publicação: 140 em latim (50%), 70 em castelhano (25%) e 44 (16%) em português. Estas obras, de formato variado versam, na sua grande maioria, sobre temas religiosos e a esmagadora maioria encontra-se publicada na língua original do texto.

O tratamento documental consistiu na uniformização e validação de 89 registos bibliográficos oriundos da Base Nacional de Dados Bibliográficos - PORBASE, e na catalogação integral das espécies sem tratamento prévio, perfazendo um total de 281 novos registos normalizados criados. Em ambos os procedimentos recorreu-se, invariavelmente, ao exame directo do exemplar. A descrição bibliográfica seguiu as Regras Portuguesas de Catalogação e as notas técnicas do SIBUL. Especificamente para a descrição de livro antigo, observou-se a ISBD(A) Descrição Bibliográfica Internacional Normalizada das Monografias Antigas e recorreu-se também ao manual Directivas para uso do UNIMARC no tratamento de monografias antigas (BN, 2001). A estrutura informatizada do registo bibliográfico obedeceu ao formato UNIMARC.

Na presente edição electrónica - Catálogo de incunábulos e impressos raros (sécs. XV-XVI) na colecção da Faculdade de Letras de Lisboa - o acesso à descrição bibliográfica pode ser feito em modo texto (páginas estáticas com a apresentação sequencial dos registos ordenados por entrada principal) ou através da interface de pesquisa (requer instalação). O acesso aos conteúdos digitais é feito a partir da imagem da folha de rosto que surge associada ao respectivo registo bibliográfico, sendo possível ao utilizador folhear virtualmente a obra, avançando nela página a página, ou consultar directamente uma das partes que a constituem, recorrendo ao índice que a indexa por títulos de partes (capítulos ou artigos), nome de autores ou termos de indexação.

Para além do catálogo propriamente dito, extraíram-se também nove índices - de autores principais, de autores secundários, de antigos possuidores, de impressores, editores e livreiros, cronológico e geográfico (ambos em estrutura multi-nível, ordenado por século/país e, neste, por ano/local de edição/publicação), de obras anónimas, de títulos e de assuntos - que, através do número de ordem do registo na base de dados bibliográficos (MFN), remetem para as respectivas referências bibliográficas.

Ver mais...

 

Catálogo de obras de teatro Osório Mateus

A base bibliográfica que agora se publica é maioritariamente constituída por monografias (96%), incluindo também publicações periódicas (3%) e material iconográfico (1%), num total de 10548 registos bibliográficos integrados no . Trata-se de um conjunto de obras publicadas entre os séculos XVII-XXI  e maioritariamente editado em Portugal, sobretudo na capital, distribuindo-se todavia por 13 línguas de publicação, sendo as mais representativas o português (5084), o francês (2262), o castelhano (1606), o inglês (1286) e o italiano (256); em 107 publicações o texto é bilingue e em 936 é traduzido. O material iconográfico inclui fotografias de cena e de actores, cartazes e esboços cenográficos, e de publicações periódicas estrangeiras encontram-se, por vezes, exemplares únicos em bibliotecas públicas portuguesas.

O tratamento documental consistiu na uniformização e validação dos registos bibliográficos existentes, e ainda na catalogação integral de espécies sem tratamento prévio, a qual resultou na criação de 2316 novos registos normalizados. Em ambos os procedimentos recorreu-se, invariavelmente, ao exame directo do exemplar. A descrição bibliográfica seguiu as Regras Portuguesas de Catalogação e as notas técnicas do . A estrutura informatizada do registo bibliográfico obedeceu ao formato UNIMARC e as abreviaturas à NP-3680 (1989) Documentação. Descrição e referências bibliográficas: abreviaturas de palavras típicas. Sempre que possível, utilizou-se a International Standard Bibliographic Description for Non-Book Materials (ISBD-NBM).

Na presente edição electrónica - Catálogo de obras de teatro Osório Mateus (séculos XVII-XXI) na colecção da Faculdade de Letras de Lisboa - o acesso à descrição bibliográfica pode ser feito em modo texto (páginas estáticas com a apresentação sequencial dos registos ordenados por entrada principal) ou através da interface de pesquisa (requer instalação). O acesso aos conteúdos digitais é feito a partir da imagem da folha de rosto que surge associada ao respectivo registo bibliográfico, sendo possível ao utilizador folhear virtualmente a obra, avançando nela página a página, ou consultar directamente uma das partes que a constituem, recorrendo ao índice que a indexa por títulos de partes (capítulos ou artigos), nome de autores ou termos de indexação.

Para além do catálogo propriamente dito, extraíram-se também três índices - de autores (geral), de títulos e geográfico (em estrutura multi-nível, ordenado por país e, neste, por local de edição/publicação) - que, através do número de ordem do registo na base de dados bibliográficos (MFN), remetem para as respectivas referências bibliográficas.

 

Ver mais...

 

Teatro Histórico do século XIX

Coleccionado ao longo de cinco décadas, o acervo bibliográfico do Arquivo Osório Mateus conta, fundamentalmente, com duas secções que ele próprio designava programaticamente por «peças» e «não-peças». O primeiro destes grupos, iniciado com a incorporação da edição feita por Alberto da Rocha Brito, em 1946, do Auto dos Físicos, de Gil Vicente, conta com 6980 títulos, na sua maioria portugueses, seguidos, por ordem de maiores existências, pelos franceses, espanhóis e ingleses, a que se somam alguns noutras línguas de menor circulação (italiano, alemão, holandês, etc.).Trata-se de um número importante de impressos que percorrem grande parte da história do teatro e da literatura dramática em Portugal, do século XVII ao XX.

Como amostra ilustrativa do Arquivo Osório Mateus, apresenta-se aqui uma colecção de 66 peças de um núcleo de Teatro Histórico constituído por cerca de uma centena, escritas ao longo do século XIX. Em termos cronológicos, é um grupo que se pode subdividir em dois períodos - um primeiro até meados do século e um segundo no último quartel – correspondentes, grosso modo, aos das correntes estéticas em que se filiam, do romantismo ao naturalismo. No entanto, evidenciam uma certa homogeneidade, decorrente, talvez, das circunstâncias conjunturais de produção, em momentos de apelo ao patriotismo (invasões francesas, domínio administrativo inglês, sonho imperialista nas campanhas africanas). A temática parece ter encontrado uma forma quase «natural» no drama, mas a verdade é que houve espaço para outros géneros, que vão da comédia à sátira, para além de, episodicamente surgirem motivos extra-nacionais baseados em figuras da História e da Arte europeias. Disso pretende esta selecção dar conta.

Numa perspectiva de História do Teatro, é de realçar que estas peças surgem aliadas a desejos de renovação teatral, desempenhadas quase sempre pelos primeiros nomes da cena nacional, reconhecíveis nos elencos que as edições exibem.

 

Ver mais...